quarta-feira, maio 20, 2009

Na contra mão do pensamento!

O Pensamento a respeito do cristianismo e o que o próprio cristianismo pensa de sí mesmo pode estar mal orientada. A verdade mesmo, é que o Cristianismo está na contra mão do pensamento. Essa é a verdade!

segunda-feira, maio 18, 2009

segunda-feira, maio 11, 2009

A Sorte de Hoje do Orkut

Há alguns meses, tenho prestado atenção e tomado nota das frase denominadas: “Sorte de Hoje” do Orkut. Um recurso, no mínimo bem humorado, que intenta lançar pequenas pérolas de sabedoria para a vida diária dos usuários. Pode parecer um recurso sem pretensões, mas que tem se popularizado com o tempo por realmente apresentar algumas frases de extrema sabedoria para a vida prática.


No entanto, comecei a reparar que muitas dessas frases nada mais são do que ecos do pensamento bíblico. É isso mesmo! Da Bíblia. Por mais engraçado, ridículo ou inesperado que possa parecer a maioria das frases que aparecerão para mim tinham algum eco na Bíblia. Estou com isso dizendo que os autores do Orkut são cristãos, ou mesmo intentam pregar o evangelho pelo Orkut ou estão fazendo uso de sabedoria Bíblica propositadamente??? Não! Tenho certeza, embora essa seja apenas minha opinião, que nem mesmo eles estão a par da conexão de suas frases feitas com o que a Bíblia ensina.


Ao longo de alguns meses, sempre que acesso o orkut, reparo na frase, e me lembro de aproveitar muitas delas se não a maioria. Assim, fui guardando cada uma das frases que encontrei e aqui está uma breve compilação do que elas dizem, em comparação com o que a Bíblia diz.


Sorte de hoje: Uma das maiores vitórias que se pode conquistar é derrotar um inimigo pela gentileza. (Rom 12:21; 1 Tess 5:15; Pro 15:1; Pro 29:11; Mat 5:39 - 42)

Sorte de hoje: A melhor maneira de se encontrar é se perder em benefício de outros! (Luc 9:24)

Sorte de hoje: Todas as gerações dão risada da moda antiga, mas seguem religiosamente a moda atual. (Ec 1:9)

Sorte de hoje: Os tolos e os fanáticos estão sempre seguros de si, mas os sábios são cheios de dúvidas. (1 Cor 8:2)

Sorte de hoje: Os fracos nunca perdoam. O perdão é uma virtude dos fortes. (Mat 18:23-35; Luc 23:34)

Sorte de hoje: O amor conquista tudo. (Jo 3:16; I Cor 13:8,13)

Sorte de hoje: Se você não quer que ninguém saiba, não faça. (Pro 11:3; Luc 8:17; 12:2; Sal 90:8)

Sorte de hoje: A paciência é a arte da esperança. (Rom 8:24-25)

Sorte de hoje: Não deixe que a raiva tome o lugar da compreensão. (Pro 14:17; 29:11; Ec 7:9)

Sorte de hoje: Nossa força cresce de nossa fraqueza. (2 Cor 12:9-10)

Sorte de hoje: Trate os defeitos dos outros com a mesma consideração que lida com os seus. (Mat 7:34; Lev 18:19; Mat 22:39)

Sorte de hoje: Viver amanhã é muito tarde. Viva hoje. (Mat 6:34)



Depois de tudo isso fica claro uma coisa. A Bíblia é sempre atual e sua sabedoria excede a capacidade de desenvolvimento humana. Verdades como essas acima expostas só puderam ser compreendidas e assimiladas (e muito mal em alguns casos ainda) depois de anos de desenvolvimento do pensamento humano. Mas já estavam lá na Bíblia. Ainda que alguém deseje ilegítimar a sua autoria divina, ainda assim fica provado que a Bíblia possuí conteúdo relevante aos tempos modernos, verdades transcendentes e práticas para a vida daqueles que desejam saber como viver. Daqueles que gostariam de ler um “manual de instruções” da vida prática do ser humano. Muito antes de Nietzche, Marx, Choppenhauer, Kant, Sócrates e outros que tanto criticam quanto aludem a idéias bíblicas, a verdade para o tempo moderno, para como devemos viver estava lá. Disponível.


Me impressiona notar que essas verdades estão disponíveis a todos pelo título de “Sorte de Hoje” e que ainda assim fazem sucesso e há muitas pessoas que não só prestam atenção como também estão aprendendo, realmente, alguma coisa com elas. Mas se fosse “Mensagem da Bíblia” muitos ainda torceriam o nariz, se é que não ignorariam. Mas pelo formato secular, em um veículo secular, e claro originando-se em mentes seculares que nada tem a ver com a Bíblia, se tornam facilmente populares. Eu gostei muito disso. É a sabedoria popular e moderna mostrando o que a bíblia tem a oferecer. Talvez essa coincidência tenha sido um tiro pela culatra do pensamento secular... Mas quem liga?


Me importa sim, que a Bíblia tem muito a oferecer. E mesmo os que não crêem em sua divina inspiração, tem razões de sobra para no mínimo procurar com seus próprios olhos entender esse livro estranho. Pretensioso e simples, amado e odiado, velho e atual.

segunda-feira, maio 04, 2009

Para um mundo menos triste

Eu nunca tinha visto uma banda se preocupar com casamento e divórcio. E fiquei muito feliz ao ver o esforço do Sanctus Real em trazer a pauta de sua canção a realidade epidêmica do divórcio. Em um bem produzido esforço de se levantar contra essa realidade, a banda conseguiu sintetizar apropriadamente os elementos capazes de destruir um casamento e comentar sobre eles. Eu nem sou casado, mas já me preocupo com essa realidade por conviver no meio dela e sentir o quão venenosa e degradante ela é para nossa sociedade e nossas famílias. A originalidade do tema, abordado de forma tão direta me chamou a atenção, me fez perguntar; porque ninguém nunca pensou nisso antes? Gostaria que essa música não servisse para ninguém, mas infelizmente, tenho certeza que ela pode beneficiar a muitos.


sexta-feira, maio 01, 2009

O Veneno da Humanidade!

Tenho visto muitos discursos humanistas sobre amor e caridade. No cinema, na poesia, na arte em geral, na educação. Mas há algo de vazio nesses discursos. Sejam eles provenientes de cristãos, igrejas, religiões ou pensadores seculares e filósofos. Todos esses discursos a respeito do amor parecem sem eco na vida prática dos homens. Me lembrei de um verso, “...com a boca, professam muito amor, mas o coração só ambiciona lucro” (Ezequiel 33:31).

Nesses momentos de crise não adianta nos furtarmos da discussão. Sei que numa hora como essas o pensamento positivo e o otimismo são muito bem-vindos. Mas não dá pra ignorar a verdade sobre essa crise. Aliás, crises! Nossos problemas modernos estão longe de serem resumidos em apenas uma crise financeira global. Não vamos nos esquecer do nosso problema nacional de educação,de distribuição de renda, do problema ambiental no mundo inteiro, nem das guerras, muito menos da sempre presente deficiente economia africana.

São muitas as crises, entretanto tenho percebido que a origem é uma só e recorrente. Antes de menciona-la vamos dar uma olhada rápida na crise atual. O dinheiro não é ilimitado. Portanto se alguém tem muito, outro alguém precisa ter muito pouco. É possível encontrar até pessoas com nada! Enquanto, por exemplo, nos EUA alguns diretores de empresas chegam a ganhar 470 vezes mais que um operário de sua própria empresa. 5% da população controla 40% da economia americana inteira. O problema começa por ai, mas vai ainda mais longe. Não bastasse estas pessoas com tanto dinheiro em caixa, eles querem ainda mais. Todos estão envolvidos em investimentos que lhes trarão ainda mais dinheiro. Há uma desculpa aqui (até válida de um ponto de vista pragmático) de que investimentos trazem progresso e empregos. Mas o fato inegável é que na medida que o capital dessas pessoas cresce o capital de outros tem minguado. É pura lei da física, a matéria não pode estar em dois lugares ao mesmo tempo. As notas também não.

Até ai, nada de novo. O fato desses endinheirados terem livre ambição e acumularem infinitamente mais dinheiro é onde está o problema. Esta crise está provando empiricamente que o capitalismo nunca foi equilibrado como parecia ser, mas está no exato extremo oposto do socialismo. O seu efeito colateral é o que vemos e entendemos como desigualdade social. Deveria haver um limite, ninguém poderia ser capaz de acumular desnecessários Bilhões de dólares enquanto alguns NADA tem. Digo desnecessários porque todo esse dinheiro não tem utilidade, não há no que gastar tanto dinheiro, e mesmo que haja a simples existência de tamanho poder monetário na mão de um único homem precisa ser entendido e compreendido como realmente é: Opressão social. Porque alguns tem o direito de gastar 2 milhões de dólares em uma corrida de cavalos que dura menos de dois minutos e que custa tão caro pela presença de ilustres, famosos e magnatas, enquanto outros não tem o pão?

O que isso tem haver com a crise? Me parece mais um discurso comunista, você pode dizer, mas não! Não sou comunista. Mas tem tudo haver com a crise. Qual é o problema atual? Quem tem dinheiro parou de investir. Tirando o seu dinheiro da roda para não perde-lo. Sem dinheiro girando, as economias mundiais param. O mundo para de crescer. E porque? Porque o dinheiro está na mão de seus donos.Ou melhor, nos bolsos. Se recusam a pô-lo de volta no jogo por medo de perder o que tem. Até aqui você pode pensar, “mas eu faria o mesmo, eles não são burros, estão protegendo o que é deles”. Isso mesmo! É ai que eu queria chegar!

“...com a boca, professam muito amor, mas o coração só ambiciona lucro” (Ezequiel 33:31). Nosso mundo não está em colapso, não é o meio ambiente que está se decompondo, nem nossa sociedade. Nós estamos! É nossa ambição por LUCRO. Esse é o nosso veneno. Até podemos falar de amor, conhecimento, educação, tecnologia, progresso, mas uma coisa nunca muda há anos, nosso desejo por LUCRO. Isso tem pautado nossas decisões e definido nossa realidade como ela é hoje. Se educação, conhecimento e tecnologia fosse a solução estaríamos bem melhor agora. No entanto nosso conhecimento e nossa tecnologia nos levaram mais longe ainda. Duas Guerras mundiais e várias outras guerras homéricas e sanguinolentas no século mais educado da humanidade. Usamos aviões para jogar bombas, sistemas de foguetes espaciais para lançar mísseis e ainda travamos guerras em nome do lucro sim!

Entendo perfeitamente o medo de grandes investidores em investir em um momento como esse. O que não entendo é como somos tão cegos para ver que sem altruísmo legítimo não passaremos de discursos vazios. Com a ausência de ações sem intenção de lucro, jamais poderemos falar de amor de verdade. Bezerra da Silva disse: “Se malandro soubesse como é bom ser honesto, seria honesto só por malandragem”. As vezes penso que “se o homem soubesse como é lucrativo ser altruísta, seria altruísta só por ser lucrativo”. Mas como me confirmou um amigo, isso também não seria altruísta.

Para ser altruísta tem que ser doação mesmo. Sem barganha, sem troca, sem lucro. Madre Teresa dizia que: "O amor, para ser verdadeiro, tem de doer. Não basta dar o supérfluo a quem necessita, é preciso dar até que isso nos machuque”.

O colapso do mundo e da sociedade são sempre o resultado de nossa ganância. Do nosso colapso. Porque não entendemos realmente o que é mais lucrativo, se é o poder ou se é o amor. Se é o meu bem-estar ou se é o do outro (não vou dizer “bem-estar de todos” porque isso é uma utopia enquanto não compreendermos que só é possível quando pensarmos no “bem-estar do outro”). Enquanto não nos fizermos estas perguntas, e encontrarmos a sábia resposta, nos destruiremos naturalmente.

A crítica esta feita, a pergunta agora é quanto a solução. Longe de mim querer parecer piegas e resumir tudo a um simples “Jesus é a solução”. Mas a verdade é que aprendo altruísmo com Ele. Ele tem me mostrado como pensar sempre nos outros e por mais difícil que isso me seja, tenho conquistado passo-a-passo uma melhor compreensão do meu egoísmo e de como mudar. Não é fácil. Nem simples. Mas não é complicado, nem impossível. Basta mudar minha direção. Costumamos pensar que o mundo deve ser assim: De Deus para mim, do Mundo para mim. Dia-a-dia eu me convenço de que o meu papel pode ser feito, se eu estiver bem direcionado. E a direção é essa: De mim para Deus, de mim para o mundo.